Informação geral
Ano Europeu da Criatividade e Inovação

2009 é o Ano Europeu da Criatividade e Inovação (AECI). O seu objectivo principal é fazer com que as pessoas percebam a mudança como uma oportunidade e a encarem como um desafio. Este Ano Europeu motivará a reflexão sobre a investigação, a competitividade e o conhecimento, criando novas sinergias e promovendo as já existentes.

EYCI

“A Europa necessita de ampliar a sua capacidade de criatividade e inovação, por razões económicas e sociais”, afirmou Ján Figel’, Comissário Europeu para a Educação, Formação, Cultura e Juventude.
O AECI será oficialmente lançado e inaugurado no dia 7 de Janeiro de 2009, no âmbito da Presidência Checa da UE, com uma conferência, que lhe será dedicada e com diversos eventos culturais, nos quais participarão representantes dos Estados Membros Europeus e diversos embaixadores do Ano.
Nas palavras do Comissário Figel’, o Ano constituirá “uma forma eficaz de promover a resposta aos desafios, reforçando a consciência das pessoas, disseminado informação acerca de boas práticas, estimulando a educação e a investigação.”

Criatividade e Inovação

A Criatividade e a Inovação parecem ser dois lados de um mesmo processo. A Inovação é a concretização de novas ideias, enquanto que a Criatividade representa a condição essencial que lhe subjaz. No entanto, as comunidades de criatividade – tal como as comunidades artísticas – e as de inovação – como as científicas - nem sempre parecem encontrar-se bem integradas. Desta forma, um contributo importante para o AECI será conseguir estabelecer pontes entre ambas, pondo em evidência as suas ligações.
A promoção da Inovação envolve não só os produtores como também os utilizadores. Estes contribuem para a modificação de produtos e serviços, descobrindo novas soluções e pondo a descoberto problemas. Por outro lado, os utilizadores e a inovação estão ligados por uma relação dinâmica: os consumidores são a força motriz da inovação e, concomitantemente, a inovação influencia os consumidores, exigindo novos conhecimentos e competências.

Aprender a pensar de forma diferente

Podemos aprender a ser criativos? A escola desempenha um papel crucial para o estímulo e descoberta de atitudes de resolução de problemas, da curiosidade e dos talentos. Se bem que seja difícil ensinar a criatividade, é ainda mais difícil não a abafar. A criatividade parece ir perdendo importância ao longo do percurso educativo do aluno. Isto significa que as competências inventivas terão de ser cultivadas desde tenra idade e cuidadosamente alimentadas ao longo do processo de aprendizagem, pela vida fora.
Para se tornarem em ambientes propícios à criatividade, as escolas procuram novas abordagens. As actividades propostas pela Primavera da Europa podem contribuir para disseminar a inventividade de uma forma trans-curricular, inspirando novas abordagens para o ensino e aprendizagem da Europa. A campanha apoia a motivação e o sentido de iniciativa, promovendo uma nova visão dos desafios Europeus.

Informação relacionada:
Sítio Web do AECI

23/04/2009 por: Alessandra D’Angelo